BEM COMUM EM MÍDIA LIVRE

Ninguém dorme nas regiões hidrográficas brasileiras

Quer visualizar as bacias hidrográficas brasileiras com imagens noturnas da NASA?

Você pode conhecer um pouco mais sobre as Regiões Hidrográficas Brasileiras e o sistema elétrico nacional de uma forma muito mais interessante que a oficial

A tarefa começou com uma necessidade que consistia em levantar bases de dados governamentais e agrupá-las visualmente de modo a subsidiar as discussões do grupo.

As conversas apontavam para uma oportunidade de apoio visual na tomada livre de decisões onde nós gostaríamos de visualizar quais bacias hidrográficas produziam mais energia elétrica, quais são as maiores consumidoras, quais estão em terra indígenas (ou no entorno), etc.

Datasets das Regiões Hidrográficas Brasileiras

 

O rápido resultado obtido formam as imagens e os mapas a seguir. Eles apresentam uma série de curiosidades que podem ampliar a reflexão sobre as capacidades dos sistemas hidrográficos de suportar o crescimento atual das grandes cidades e metrópoles.

 

As imagens que mais nos chamaram a atenção!

Um mapa interativo com regiões hidrográficas, usinas hidrelétricas e terras indígenas

Neste mapa você pode encontrar sua cidade ou região e descobrir qual região hidrográfica ela está com imagens fotografadas pela NASA durante a noite. É melhor visualizar em uma tela grande.

O mapa que publicamos é interativo. Passar o ponteiro pela imagem aciona o nome da Região Hidrográfica, e se você clicar em alguma das 12 abrirá uma caixa com algumas informações e link para a página de referência no site da ANA. Os pontos das usinas hidrelétricas também permitem alguns dados como nome do rio, proprietários e tipo de uso, basta passar o ponteiro ou clicar também.

A plataforma vai além da exibição e permite que você faça cópias das bases de dados e até do próprio mapa para modificá-lo como quiser, para isso é só criar uma conta grátis nos links apresentados ao final.

Você pode habilitar ou desabilitar quatro camadas neste mapa, incluindo duas cópias do mapa de UHEs no Brasil (uma piscando e outra com pontos fixos) e outras camadas com as Regiões Hidrográficas brasileiras e as terras indígenas reconhecidas pela FUNAI. Dê zoom, habilite e desabilite camadas, fuce até ter novas idéias!

A seguir algumas dicas, se um dia encontrarmos bons tutoriais colocaremos aqui.

 

Dicas de como fazer estes mapas

Todos os arquivos utilizados neste artigo foram encontrados em fontes online governamentais e estão disponíveis em nossa conta na plataforma carto.com, nos famosos datasets.

Uma dica que damos ao testar novos softwares é fazer testes rápidos para poder finalizar todo o processo e vivenciar um pouco das ferramentas e usabilidade do software. Se te agradar você poderá planejar melhor seu resultado final. Para este artigo nós queríamos um mapa com pequenas possibilidades de interação e alguma diversão visual.

Conhecer os métodos tradicionais de configuração de mapas acadêmicos é fundamental para o desenvolvimento das pesquisas em sociedade, mas um processo lento, árduo e muitas vezes pouco dinâmico quando em comparação com as possibilidades que pesquisas abertas tem em alcançar o leitor comum. Na vida cotidiana podemos encontrar desafios emergentes onde é fundamental que seu tempo de resposta seja curto e é justamente neste item que plataformas como a carto.com podem facilitar, e muito, o processo.

Primeiro você precisa baixar os bancos de dados que deseja utilizar e organizá-los em pastas do seu computador. Sugiro baixar amostras e rapidamente subi-las no dataset do carto.com (ou de qualquer outra plataforma que você tenha a disposição) para garantir que há compatibilidade, que tudo vai funcionar, etc. Depois do upload tudo ficará online, na nuvem, e você pode aliviar o seu HD interno.

 

Links úteis

Para fazer os mapas e imagens deste texto nós utilizamos as três fontes a seguir:

Regiões Hidrográficas da ANA

com as Ottobacias Nível 01 – arquivos extraídos do LAB H2O da UNESP de Ourinhos

Usinas hidrelétricas (UHE) da ANEEL

link para download no SIGEL ANEEL

Imagens noturnas de satélite da NASA

opção inclusa no carto.com cuja fonte é  Global Imagery Browse Services (GIBS)

Terras Indígenas (2017) / Terras Indígenas em Estudos (2017)

Os dados das terras indígenas podem ser encontrados na seção de geoprocessamento da FUNAI, onde utilizamos polígonos e pontos das terras indígenas brasileiras, situação em agosto de 2017. Como afirma o próprio site, tratam-se do melhor registro oficial possível das terras indígenas Regularizadas, Homologadas, Declaradas, Delimitadas e das Áreas em Estudo, excluindo os territórios em conflito ampliado sem ao menos estudos reconhecidos.

Link no CARTODB

Para acessar nossos arquivos no carto visite este link https://cdiegosr.carto.com/me

 

 

E isso aqui a gente tem que copicolar quando usar as bases de mapas com imagens noturnas da NASA: We acknowledge the use of imagery provided by services from the Global Imagery Browse Services (GIBS), operated by the NASA/Goddard Space Flight Center Earth Science Data and Information System (ESDIS) project.

Espalhe as águas
  • 22
    Shares
Rolar para cima